Todo dia vemos absurdos no transporte público de Campinas. Busão sem gasolina, quebrado, não aguentando subida e até pegando fogo.
Além do preço abusivo de R$ 4,50, a Prefeitura de Campinas deu quase R$ 90 milhões para as empresas de ônibus assegurarem seu lucro em 2016. As empresas alegam que é um serviço caro e que o número de passageiros diminuiu muito. Infelizmente, não podemos averiguar nada disso porque não temos acesso e transparência dos custos do transporte público de Campinas.
Temos um objetivo: ouvir da Prefeitura que o transporte de Campinas é muito ruim! Nós sabemos que isso é óbvio, mas o poder público continua enrolando a população e não agindo para melhorar de fato o busão. O primeiro passo para consertar um problema é admitindo ele e vamos aproveitar o Maio Amarelo pra falar sobre!
Olha só o mapa que fizemos!
Em mãos!
Para não alegar ignorância, entregamos na mão do Secretário de Transportes Carlos Barreiro o nosso mapa de absurdos do busão. Ele, como sempre, fugiu do assunto. Dá uma olhada!
Pé na rua!
Fomos para as ruas convidar as pessoas que vivem o dia a dia a participarem da mobilização e acabamos vendo a realidade absurda! Dá uma olhada
O que conta como 'absurdo do busão'?
A nossa vida no transporte público não se resume só ao busão.
Confiamos no seu detector de absurdos, mas dá uma olhada em possíveis
exemplos de absurdos pra ajudar a memória:
Histórico
Tá lembrando do que aconteceu nos últimos anos com o busão em Campinas?
A prefeitura, nos representando, tem o dever de realizar o serviço do transporte público. Para isso, ela fez a escolha de contratar empresas para realizar esse trabalho com o nosso dinheiro. Essas empresas não estão cumprindo o contrato assinado, servindo mal a todos nós. Sabia que elas pagaram apenas 11% das multas recebidas? A prefeitura não toma medidas nem para punir as empresas, nem para melhorar esse contrato. O TCE (Tribunal de Contas do Estado) sugeriu fazer uma nova contratação, porque julgou o último processo irregular. Enquanto isso, o busão continua péssimo e nós continuamos pagando caro por isso.
Cada vez mais caro!
Desde as Jornadas de Junho, quando algumas cidades conquistaram uma diminuição, o preço da tarifa só aumentou: 50% nos últimos 5 anos em Campinas.
Péssimas condições de trabalho
Os cobradores 'seriam' realocados para outras funções. Isso não aconteceu. O que isso significa? Dupla função para os motoristas de ônibus, como uma das profissões com maiores índices de problemas de saúde.
Fim do dinheiro
Desde 2014, a prefeitura dizia que tiraria o dinheiro em espécie de circulação dos ônibus. Seguindo a ideia, sem dinheiro, sem roubos, sem necessidade de cobradores
Péssima qualidade do transporte
Resultado? Greves e paralisações por atrasos de salário. Ônibus parado nas ruas por falta de combustível, de cuidado e manutenção. Aumento do número de acidentes e mortes por causa dessa política da prefeitura.
Sem cobradores
Em 2015, a prefeitura de Campinas não aumentou o preço da tarifa, mas iniciou uma prática que precariza cada vez mais o transporte público: começou a retirada dos cobradores dos ônibus.
Aumento do repasse para empresas
As mesmas empresas que entregam esse péssimo serviço recebem cada vez mais um dinheiro para se manterem 'estáveis'.Do início de 2015 para o de 2016, o repasse mensal passou de R$ 1 milhão para R$ 8 milhões.
contato@minhacampinas.org.br
A Minha Campinas é uma rede de pessoas conectadas na construção de um processo mais participativo das tomadas de decisão de interesse público da cidade. Por meio de mobilizações e fomento a comunidades de ação, utilizamos tecnologias sociais e digitais de maneira estratégica, criativa e humana.
Para manter nossa independência, não recebemos recurso público, de partidos e empresas concessionárias de serviços públicos. Por isso, precisamos da sua doação para continuar mobilizando!
Dúvidas sobre doação? Fale com a Elisa!
elisa@minhacampinas.org.br